Apresentação

O Pombas Urbanas é um grupo de teatro que desde 1989 vem desenvolvendo uma ampla pesquisa sobre o ator, linguagem e dramaturgia. Em sua trajetória contam 13 espetáculos que refletem seu estudo continuo sobre homem e seu meio.

Histórico

O grupo Pombas Urbanas nasce em outubro de 1989. Ao longo de sua existência realizou pesquisa sobre a formação do ator, linguagem e dramaturgia, formando um repertório de 15 espetáculos, em sua maioria textos de autoria de Lino Rojas (1942-2005), criados a partir da pesquisa do grupo que se caracteriza pelo estudo contínuo sobre a cidade de São Paulo e seus habitantes e na construção de uma linguagem cênica que traz a poética do jovem brasileiro contemporâneo. Com seu fazer teatral, o grupo busca reconhecer e expressar sua cidade e seu tempo. O grupo tem o início de sua história na participação no projeto “Semear Asas”, concebido pelo diretor Lino Rojas, que teve como objetivo formar atores e técnicos para o teatro com jovens de São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, em 1989.

A primeira montagem da companhia, chamada “Os Tronconenses”, foi apresentada em 1991 no FEPAMA. Nesta ocasião, o grupo, inesperadamente, foi vencedor de 5 prêmios: melhor pesquisa de linguagem cênica, melhor espetáculo, melhor atriz e revelação de ator e atriz. Com este mesmo espetáculo, a companhia participou em 1995 da 47ª Reunião Anual da SBPC, do 10º ENTEPOLA – Encontro de Teatro Popular Latino Americano em Santiago do Chile e da 2ª Mostra de Teatro Jovem Montevidéu no Uruguai. Em 1997, com o espetáculo “Ventre de Lona”, que trata da questão do abandono, contando a história de um bebê abandonado na porta de um Teatro, recebeu o Prêmio Estímulo Flávio Rangel / FUNARTE na categoria “Consolidação de Pesquisa de Linguagem Cênica”. “Ventre de Lona”, teve 2 temporadas na Cidade de São Paulo: a primeira no Centro Cultural Elenko KVA, em 1998, e a segunda na Sala Arte do Novo TBC – Teatro Brasileiro de Curitiba o espetáculo de rua “Mingau de Concreto” e a mini-tragédia para palco italiano “Uma Baleia Perto da Lua”.

Desde sua formação, ministra cursos de teatro em diversas regiões da periferia de São Paulo, transferindo o conhecimento produzido em sua pesquisa para jovens e adolescentes destas regiões. É desta forma que os integrantes do grupo Pombas Urbanas compreendem e exercem sua condição de artistas: situando sua pesquisa e produção teatral junto à sociedade com o desenvolvimento de propostas práticas e concretas de acesso à Arte, desenvolvimento de conhecimentos e ferramentas para que populações historicamente marginalizadas possam produzir teatro e refletir sobre sua realidade por meio da Arte. Com isso o grupo vem desenvolvendo desde 2004 uma intensa formação artística e humana no bairro Cidade Tiradentes, na construção física e na realização de atividades e programações culturais em sua sede, o Centro Cultural “Arte em Construção”.

Principais participações em festivais, encontros e mostras teatrais:

Participação na abertura do Estéticas da Periferia que teve apresentação do espetáculo “Lado a Lado: Leste e Sul, uma só comunidade” no auditório do Ibirapuera em São Paulo, com os grupos e artistas Samba da Vela, Pingo de Fortaleza e Criolo (agosto de 2015);

Festival Internacional de Londrina – (2015);

IX Mostra de Teatro de São Miguel Paulista (maio de 2015); 5ª Feira de Teatro de Rua de Sorocaba (2013 e 2015);

17º Festival de Teatro de Catanduva (2015);

Virada Cultural (2013 e 2015);

2ª Mostra “O Lixo”- Assis/SP (2015);

2ª Mostra Mangue Cultural- São Paulo, Juquitiba/SP- 2015;

Encontro Comunitário de Teatro Jovem da Cidade de São Paulo – no Bairro Cidade Tiradentes, e em outros pontos culturais da cidade de São Paulo (2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2015);

Mostra Conexões para uma Arte Pública do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz (Porto Alegre – RS) – promoveu o encontro de grupos teatrais de Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre (dezembro de 2014);

Virada Cultural Paulista Franca (2014);

Circuito Cultural Paulista (2014);

FESTCAL- Festival Nacional de Teatro do Campo Limpo (2013 e 2014);

I Festival Internacional de Tetro en Comunidad (Lima-Peru-2013);

III Festival de Teatro Popular – Jogos de Aprendizagem (Porto Alegre/RS) – 2012;

12° Festival de Teatro de Grupo (Lima- Peru-2011);

VII Congresso Internacional de Drama/Teatro e Educação – IDEA 2010 (Festival Internacional de Teatro) – Belém, Pará (julho de 2010);

Circuito Cultural Paulista – programa realizado pela Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Unidade de Fomento e Difusão de Produção Cultural (UFDPC), em parceria com as prefeituras dos municípios (abril de 2010);

“El Dia del Spañol” – organizado pelo Instituto Cervantes no Memorial da América Latina (junho/2010);

“6 na Sé” – Terças teatrais – realizado pela Companhia do Metropolitano de São Paulo (METRÔ) em maio 2010;

24ª Mostra de Teatro de Sertãozinho (maio de 2010);

Circuito Cultural Paulista – programa realizado pela Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Unidade de Fomento e Difusão de Produção Cultural (UFDPC), em parceria com as prefeituras dos municípios (abril de 2010);

Mostra de Teatro de Rua Lino Rojas (Organizada pelo Movimento de Teatro de Rua de São Paulo), atuando na organização e na apresentação de espetáculos (de 2006 à 2015);

Encuentro Nacional Comunitário de Teatro Joven” – Medellín- Colômbia (2003, 2005, 2008, 2010, 2011);

“XXI Festival Internacional de Oriente” – Venezuela (outubro de 2001);

“X Festival Internacional de Teatro de La Habana ” – Cuba (setembro de 2001);

“Mostra do grupo Pombas Urbanas” – no Teatro Nacional do INC – Instituto Nacional de Cultura- Lima-Peru (junho/2001);

“9º Festival de Teatro de Curitiba” – Curitiba (março de 2000);

“Temporadas Populares” – Brasília-DF (janeiro de 98);

“2ª Mostra Internacional de Teatro Jovem no Uruguai” – Montevidéu (outubro de 96);

“10º Entepola” – Encontro de Teatro Popular Latino Americano – Santiago do Chile – (janeiro de 1996);

1º. Encontro de Teatro Popular Latino Americano Virá Que Eu Vi 2.000 (Nova Venécia – ES – setembro/95);

Encontro com a equipe do professor Jean Biarnés, doutor em educação alternativa da Universidade XIII de Paris (São Paulo, na Faculdade de Educação – USP – abr/97);

47º Reunião Anual da SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (São Luís do Maranhão/MA julho/95).